15-05-2019


Sustentabilidade do Grupo Nabeiro


Cápsula orgânica e café 100% português entre as principais novidades

O Grupo Nabeiro partilhou a sua estratégia de sustentabilidade e apresentou vários compromissos nas vertentes económica, social e ambiental, com o objetivo de reforçar o seu papel na construção de um Mundo cada vez mais sustentável e em consonância com a estratégia da organização e com os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável.

Nesse âmbito foi apresentada a nova cápsula de café Delta Q, 100% orgânica e biodegradável. Esta nova cápsula, desenvolvida pelo Centro de Inovação do Grupo Nabeiro, a Diverge, em conjunto com parceiros externos e Centros de Investigação nacionais, é feita de BioPBS, ou seja, de um material de base biológica e vegetal, constituído por cana-de-açúcar, mandioca e milho.  É uma cápsula com 0% plásticos, 0% micro-plásticos e 0% alumínio.

O primeiro blend da marca com esta cápsula 100% orgânica, Delta Q eQo, será lançado no 2º semestre de 2019, terá uma validade de 90 dias por ser biodegradável, e terá tripla certificação de sustentabilidade: Certificação Rainforest Alliance, que trabalha para conservar a biodiversidade e garantir meios de subsistência sustentáveis através da transformação de práticas de uso do solo, práticas comerciais e comportamento do consumidor; Certificação UTZ (UTZ representa uma agricultura sustentável e melhores oportunidades para agricultores, as suas famílias e o Planeta); e Certificação Biológica (O método de produção biológico combina as melhores práticas ambientais que contribuem para um aumento de biodiversidade e a preservação dos recursos naturais).

A embalagem do novo Delta Q eQo é feita em cartão totalmente reciclável, com certificação FSC (que assegura que o produto provém de uma floresta gerida de forma sustentável) e impressa com tintas biológicas.

A mesma consciencialização da necessidade de preservação do meio ambiente, e focada nos princípios da economia circular, levaram a Delta a desenvolver uma parceria com a start up NÃM, num processo inovador de transformação de borras de café em alimento - cogumelos.

O conceito “from waste to taste”, criado em 2018 por Natan Jacquemin, fundador da start up, tem um método de aproveitamento simples e inicia-se quando a água quente, na extração de “uma bica”, passa pelo café, limpando desta forma a borra. O processo de preparação de um café só utiliza 1% da sua biomassa, sendo os restantes 99% considerados desperdício. Esta borra representa um substrato limpo e rico em nutrientes, um excelente alimento para os cogumelos. 
A Delta Cafés irá recolher as borras de café, considerados extratos limpos e ricos em nutrientes, nos seus Clientes através de recipientes próprios, maximizando a eficiência operacional através de uma produção mais sustentável. 

O apoio às comunidades e aos produtores de café sempre foi um dos eixos que nortearam a estratégia de sustentabilidade da Delta Cafés. É dentro desse âmbito que se insere a celebração de um Protocolo de cooperação com a Associação de Produtores Açorianos de Café – APAC, com vista ao apoio em todas as etapas da produção, preparação e comercialização do café dos Açores durante os próximos 15 anos.

Com a celebração deste protocolo a Delta Cafés irá apoiar os associados da APAC em todas as fases de produção de café: desde a introdução de novas variedades de café competitivas e economicamente viáveis, passando pelo aconselhamento técnico e pelo apoio na comercialização, até à elaboração de um plano estratégico para toda a cadeia produtiva do café, promovendo um sector socioeconómico rentável e produzindo com sucesso o único café da Europa.

Para conhecer a nossa política em detalhe, clique aqui.